Filme | Flores raras

flores-raras

cena de ‘flores raras’

Flores raras é um filme difícil… porque brinca com a realidade — pronta, estabelecida entre duas mulheres que se encontraram e viveram juntas um ‘romance’ num Brasil, que as recebeu com naturalidade, sem preconceitos e intolerâncias… objeto cada vez mais comum nos dias denominados contemporâneos.

O desenrolar da realidade não foi justo para com a poeta Bishop… mas, não há como fugir do trágico final que a vida ‘escreveu’ — mesmo sendo o filme em parte: ficção. Lima Barreto ainda conseguiu agir como se a vida fosse feita de argila — como nos ‘ensina’ a bíblia — moldando as personagens ao seu bel prazer… para abordar um assunto, que na vida real não é nada fácil de tratar, quiçá nas telas do cinema, lugar onde nem sempre há espaço para temas tão profundos.

Falar das perdas e da consequência natural, que nos norteia: não saber perder… é inquietante-indigesto. Ainda mais quando temos em cena, duas mulheres intimamente ligadas a uma personagem, que nos parece forte-segura e que, no entanto, é incapaz de romper laços.

Lota dividia uma casa e a própria vida com Mary… a chegada de Bishop altera — em partes — essa realidade. Numa cena vemos os lábios da arquiteta brasileira se unir aos da poeta estadunidense e em paralelo a isso, acompanhamos a solidão de Mary…

Lota — para a nossa surpresa — decide não se afastar da amiga-namorada-amante, como se a paixão provocada em sua pele por Bishop… fosse desaparecer no dia seguinte.

Fiquei com a sensação de que Lota quis preservar um lugar para voltar quando tudo desmoronasse. E foi justamente nesse ponto que o enredo se dissolveu aos meus olhos… e eu recordei os versos do poema de Bishop… ‘a arte de perder não é nenhum mistério / tantas coisas contém em si o acidente /  de perdê-las,  que perder não é nada sério. / Perca um pouco a cada dia. Aceite austero, / a chave perdida, a hora gasta bestamente. (…) 

Lota não sabe perder… por isso, assistimos o seu lento definhar a cada cena… até não sobrar mais nada. E a partida de Bishop — que faz as malas e emerge em vida — não me causou surpresa alguma…

A última cena, com Bishop a beira do lago, me fez sair do cinema em meio a um pesado lamento… não ter levado comigo o exemplar de ‘north and south’. Seria excelente me sentar para um café numa das mesinhas bem merecidas do Cine Café Fellini e devorar um punhado de versos mais uma vez…

flores-raras-005.jpg

A arte de perder não é nenhum mistério.
Perdi duas cidades lindas. Um império
que era meu, dois rios, e mais um continente.
Tenho saudade deles. Mas não é nada sério.
(…)

Anúncios

4 comentários sobre “Filme | Flores raras

  1. Madalena Barranco disse:

    “Flores Raras”, na minha opinião, foi um dos melhores filmes de 2013. Uma obra muito sensível e bonita, dirigida com muita competência por Bruno Barreto e perfeitamente encenada por um elenco maravilhoso, com destaques para Miranda Otto e Gloria Pires, além de Tracy Middendorf.

  2. Sandra disse:

    O filme é deslumbrante, de extremo bom gosto e melhor será captado por quem já teve o privilégio de ler os belos poemas da Bishop. As atrizes arrasam. Pires foi excepcional e Miranda Otto roubou a cena.
    Acho que o grande problema nesse filme, é que as pessoas são preconceituosas e só vêm paixão entre homem e mulher.

  3. Mel disse:

    Um filme lindo, envolvente. Delicado e embalado pela poesia e pelo drama de perder. É a primeira crítica a respeito que valoria a história do filme e não a demerece.

    Li essa critica aqui e fiquei com a impressão de que o cidadão viu outro filme. Ele reclamou da Gloria Pires, do Diretor Lima Barreto, da trama homoafetiva, da poesia do filme.

    Grata por dividir seu olhar, amei
    beijocas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s