A força do querer

logo a força do querer…ontem começou a nova novela das nove — da Rede Globo. E se tem uma coisa que me intriga nessas tramas… são os títulos que as orienta junto ao público.

Eu costumava pensar — antes de me inteirar sobre o processo — que deveria existir um ‘cérebro vivo’ contratado apenas para cumprir essa função: encontrar um título-tema  que resumisse — com qualquer coisa de perfeição — a idéia do autor.

Após pesquisar o assunto, percebi que a ‘novela’ de títulos para as tramas televisivas são as mesmas que os autores enfrentam na hora de ‘nomear’ seus benditos-frutos: os livros. Mas há uma sutil diferença, já que no caso das novelas, os autores é quem batem o martelo e os autores de livros, na grande maioria das vezes, são obrigados a se render a imposição dos editores-editoras.

Mas, assim como no mundo dos livros, todo o processo é bastante particular. Temos autores que deixam o título por último… depois de todo o enredo e personagens prontos. E no último segundo recorrem a profissionais — a maioria da área de marketing, verdadeiros especialistas — em garimpar o melhor dos títulos.

Foi o que fez Agnaldo Silva em ‘fina estampa’, que inicialmente iria se chamar ‘marido de aluguel‘ em referência a personagem principal da trama, vivido por Lilian Cabral…

E há autores que precisam do título como Norte… como Gilberto Braga, que se deparou com o título no momento mais improvável de sua vida: durante o enterro do músico-amigo Dorival Caymmi. A letra da música ‘só louco‘ lhe veio à mente… e ao cantarolar o verso — ‘ah, insensato coração/ por que me fizeste sofrer‘ — ele teve certeza — um ano e meio antes — que ‘insensato coração‘ seria um bom título para uma novela das nove.

Na nova trama das nove… o título — a força do querer — foi usado nas chamadas pela emissora — de maneira bastante didática — para fazer o público entender a proposta da autora e sua trama, que promete mover seus mil e um personagens a partir dessa força que nos faz levantar da cama e encarar essa tal realidade.

Não gosto do estilo-ritmo da autora Gloria Perez e também detesto essas tramas com personagens em excesso — marca registrada da noveleira. Mas é inegável que o mote-título me fez parar e pensar em meus movimentos de vida… porque se tem uma coisa que move os meus passos é justamente o meu querer… que já esbarrou no querer de outras pessoas.

Fui chamada de louca ao deixar de lado uma ‘carreira sólida’ para me enveredar por um mundo ‘estranho e desconhecido’ onde ninguém trabalha… apenas bebe café. Tudo que eu faço é visto por muitos como ‘um hobby’… que não resulta em ganhos ou conquistas.

Que seja… eu faço o que gosto e minha prioridade é a satisfação que sinto ao ver meus projetos concretizados. Nada é melhor que fazer o que se gosta e poder simplesmente mudar de direção junto com o vento…

 

Anúncios

6 comentários sobre “A força do querer

  1. S. disse:

    Nossa, eu juro que acho super mega estranho uma escritora-editora assistir novela.
    Não combina. Sei lá. Fiquei meio decepcionada com esse seu texto. Se bem que de certo modo, eu não deveria esperar nada, não deveria ter ilusões.

  2. Frasco de Memórias disse:

    Já eu gostei muito desta reflexão sobre um tema mundano que rapidamente passou para uma das questões mais profundas da vida: as nossas escolhas; neste caso a escolha de um percurso tão pouco convencional que exigiu uma dose de coragem, loucura e muita “força de querer” para abraçar.
    Lunna, nunca esquecerei um post sobre um outro tema aparentemente tão leve e que me deixou a pensar até hoje: o texto sobre o tapete da entrada! Lembra-se?
    Bacio!

    • Lunna Guedes disse:

      Ana, e um dos textos que eu mais gosto. Estava a mexer nele na semana passada.
      Eu gosto de escrever sobre assuntos do momento que, de alguma maneira, me fazem pensar em minha realidade. Sou Editora e escritora e a realidade é o lugar onde busco meu alimento. rs

      Bacio

  3. Mariana Gouveia disse:

    Acredito muito nessa força do querer e para além da força das palavras, alguns personagens me prendem.
    Ainda estou em fase de “prazer, personagens”…e devido ao cansaço, durmo no meio da primeira parte do capítulo.
    Vejo apenas lances nas chamadas.
    Bacio…

    • Lunna Guedes disse:

      Eu vi pouco da trama, mas amei a conversa entre o pai e filha. Já vi e revi várias vezes. Adoro esses diálogos, que ultimamente, infelizmente, parece caber apenas na ficção mesmo. Foi linda…
      Ah! Eu quero sempre e sempre e sempre… um abraço seu.

      bacio

      • Mariana Gouveia disse:

        Ah, eu vi também e babei na interpretação do Dan.
        Ainda me adaptando…
        abraço seu, amore? Sonho com ele sempre…
        Você chega na hora que preciso de colo.
        bacio

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s