15 | a leitora que sou…

clone tag: 7479877215568638219

 

Eu tive fome de juntar letras… formar palavras e construir frases — foi o que me disseram. Mas, não alcanço o momento-processo. Falta-me memória… esse objeto ainda em construção.

Olho para esse passado-meu e me vejo sentada à mesa da cozinha, com os pés a balançar no ar e um copo de leite caramelado ao lado. Os olhos grudados na página de um livro grande, onde leio a história do mundo… a partir dos mitos gregos.

Me lembro da euforia em saber Poisedon (deus dos mares e oceanos), Reia (uma das filhas de Gaia), Zeus (pai dos deuses) e outros tantos personagens fantásticos, narrados em versos imensos-intensos.

Havia livros espalhados pelos cômodos da casa… a maioria: de poesias. Esbarrava neles, a caminho do quarto-sala-banheiro. Gostava imenso de tocá-los… senti-los na ponta dos dedos. Ler os títulos, portas para realidades outros…. e o nome de seus autores, essas figuras impossíveis.

O meu preferido era: ‘essa é minha carta ao mundo‘… de Emily Dickinson. Minha primeira poeta estrangeira, a me calar e roubar a minha paz-alma. Com ela aprendi o sentido de vida-morte, começo-fim. A anatomia do silêncio e a filosofia do espaço.

Em meu quarto havia pilhas de almanaques, ao lado da cama, sempre ao alcance das mãos. Histórias de heróis mutantes… seres estranhos e incríveis. Enquanto lia, pensava em qual seria o meu poder e me divertia ao imaginar minha vestimenta, cor da pele-cabelo.

Decidi que seria uma criatura noturna, com sensor de morcegos na pele e olhar de coruja… com a cabeça a girar trezentos e sessenta graus.

 

 


Ana Claudia | Ale Helga | Cilene Mansini | Fernanda Akemi
 Maria Vitória |  Mari de CastroMariana Gouveia | Obdulio Nunes Ortega


 

maratone-se

Anúncios

9 comentários sobre “15 | a leitora que sou…

  1. Ale Helga outubro 15, 2018 / 13:32

    Sua vida de leitora começou bem diferente…Você já foi para o universo dos gregos…Fui descobrir bem mais tarde…Detestava poesia, era leitura obritória…Hoje perdei a poesia, pois, não foi ela a culpada pelo meio receio…
    Abraços

  2. Ana Claudia de Angelo outubro 15, 2018 / 16:11

    Eu também tinha ânsia pelas palavras, do que jeito fosse, no lugar e hora que pudesse! Está sendo muito bonita essa interação! Já, já sai a minha história lá no “Café”!! Bjs

  3. Fernanda Pedotte outubro 15, 2018 / 16:52

    Que lindo, Lunna!
    Estou encantada com as histórias e a sua está o máximo. Uma leitora já avançada para o universos dos gregos!! Esses eu só fui descobrir muito depois.
    Poesias eu já comecei desde cedo também.
    Adorei!!

    Bacio

  4. Retipatia outubro 15, 2018 / 17:13

    Tenho certeza de que, se sua imaginação tivesse sido realizada, seria uma criatura intrigante e instigante, mas acho que nem metade da que realmente é, já que não precisa de olhos sobre-humanos ou animalescos, ou o giro do pescoço à lá Exorcista… Creio que sua mente e alma já trafeguem pra todos os cantos e captem bem mais do que olhos são capazes, ainda que enxergassem à noite. E isso é essência que já estava na garota a balançar os pés na cadeira da cozinha, ao lado do leite caramelado. Tenho essa cena em minha cabeça tão bem talhada que, às vezes, acho que estive lá e a vi desse modo. Talvez estivesse, quem sabe.

    bacio,

  5. Luana Souza outubro 15, 2018 / 18:14

    Que história mais linda. Só hoje já parei pra lembrar de como realmente comecei a ler, e agora de qual tipo de leitura eu sou. Leio desde sempre, sejam livros didáticos (eu amava aqueles do fundamental) ou histórias. Inclusive, comecei a ler hoje o livro que eu mais queria ler o ano todo e já chorei, já ri, já gritei. É tão lindo como a leitura nos transforma!

  6. Cilene Mansini outubro 15, 2018 / 18:17

    Adorei as fotos, e como você adoro cozinhar…o som das panelas, do fogo ascendendo, o aroma da cebola e alho seu meus preferidos desde sempre. Realmente comida sem cheiro bom não agrada, mas o que eu detesto mesmo é comida mistura na prato. Não precisa ser misturada de misturada rs mas tipo, arroz em cima de feijão, legumes por cima e a mistura no final da montanha. Nossa, perco a fome rs.
    Queria muito ter participado desse 6 on 6 …mas estive fora de casa, curtindo umas férias e voltei bem depois do dia 6. Mas no próximo estou de volta 🙂

  7. mariel outubro 15, 2018 / 18:39

    Lunna, querida. Que Poseidon te mantenha longe dos portos, onde não acontecem histórias

  8. obduliono outubro 15, 2018 / 22:24

    “Decidi que seria uma criatura noturna, com sensor de morcegos na pele e olhar de coruja… com a cabeça a girar trezentos e sessenta graus.” – essa é você, Lunna…
    Na minha mitologia, no panteão das palavras, você ocupa uma posição especial.

  9. Mari de Castro outubro 18, 2018 / 0:25

    Lunna estou amando saber como a leitura entrou na vida de cada participante desta maratona maravilhosa, que encanto sua versão, eu também adoro almanaques curto muito os heróis dos quadrinhos. Bjs

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s