18 | Ulisses… e eu!

dsc_0183

Eu já escrevi sobre isso… sobre o quanto era difícil abandonar livros, no começo. Não folhear as páginas… uma a uma, até a última linha. Não ler palavra por palavra até calar-me diante do inevitável fim. Restando apenas: suspirar como quem morre. A xícara vazia e corpo convertido em deserto.

Nunca lidei muito bem com o fim das histórias… que leio. Desenvolvi com o passar do tempo uma autodefesa. Dar continuidade a trama, do lado de dentro, onde nada se acaba.

Foi assim com o dia seguinte de ‘orgulho e preconceito‘. Lizziê e Darcy adentraram Pemberley para uma vida a dois… de ‘noite e dia‘ em que o casal da trama continua a se encontrar e desencontrar naquele monótono: ata e não desata. E tantos outros!

Mas, aconteceu de um livro não atrair o meu olhar. Não me conquistar-seduzir. Foi difícil avançar as linhas. Percorrer o capítulo. Deixar a primeira página. Eu insisti: uma-duas-três-quatro vezes — sem sucesso…

O pior era que se tratava de um livro-clássico. Lido por todos… venerado-reverenciado. Considerado o autor dos autores… e o livro, o Norte para qualquer leitor-autor.

Tentei mais uma vez… equipada com uma bula-bússola-mapa. Precisava compreender os malditos labirintos de Ulisses  que é um calhamaço de experimentações… de Joyce, mais um autor a desejar abraçar a eternidade e, para isso, precisava manter os críticos ocupados. Eis a fórmula do sucesso. Sem conseguir desvendá-lo… o elogiariam, apenas para não acusarem o fracasso de não entendê-lo.

Pois bem… abandonei Ulisses! — o livro, Joyce… e, ao concluir que não era para mim, percebi que há livros não irei ler… e não há nada de errado nisso, pelo contrário, terei tempo para reler os meus favoritos e os outros tantos livros que ainda não foram lidos e estão à minha espera… amém.

 


Ana Claudia Ale Helga | Cilene Mansini | Fernanda Akemi
Mari de Castro | Maria Vitória | Mariana Gouveia | Obdulio Nunes Ortega


maratone-se

Anúncios

5 comentários sobre “18 | Ulisses… e eu!

  1. obduliono outubro 19, 2018 / 0:50

    Desta vez, não houve canto de sereia que a seduzisse…

  2. Maria Gonçalves outubro 19, 2018 / 9:53

    Esse “consenso” em relação a alguns livros/ filmes, muitas vezes funciona como uma “camisa de força”, e poucos têm a coragem de dizer: não gostei/não entendi/não ecoou dentro de mim.

    • Lunna Guedes outubro 19, 2018 / 20:16

      Eu prefiro dizer não gostei, não serve para mim, não ecoou que seguir ladeira abaixo sem freios. rs

      bacio cara mia

  3. Amável Casa outubro 20, 2018 / 20:16

    Estou aprendendo isso que não tem nada demais em abandonar um livro, pois eu ficava com peso na consciência com peninha do livro rsrs mas as vezes simplesmente naõ flui e para que forçar né? Bjks
    Mari

  4. Mariana Gouveia outubro 20, 2018 / 21:33

    Ah, Ulisses! Argh!!

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s