6 on 6 | Preto & Branco

Fui até a prateleira buscar por um livro-poeta-versos que me servisse de barco-mar… queria navegar por esse punhado de dias-semanas-meses de dois mil e dezoito. Gosto de ao chegar em dezembro pensar que o ano é como uma bobina — daquelas antigas — em que se pode retroceder e avançar a fim de visitar o que foi e não foi.

Voltei com Eliot — esse homem-senhor-poeta com sua inabalável fé na magia do que é invisível. Amém


das coisas que incomodaram

1 — Sigamos então, tu e eu / enquanto o poente no céu se estende / Como um paciente anestesiado sobre a mesa; / Sigamos por certas ruas quase ermas, / Através dos sussurrantes refúgios / de noites indormidas em hotéis baratos…

com luciana nepomuceno

2 — Ruas que se alongam como um tedioso argumento / Cujo insidioso intento / É atrair-te a uma angustiante questão… / Mas não perguntes: “qual?” /  Sigamos a cumprir nossa visita…

com as meninas na pavão

3 — E na verdade tempo haverá / Para que ao longo das ruas flua a parda fumaça, / Roçando suas espáduas na vidraça: / Tempo haverá, tempo haverá / para moldar um rosto com quem enfrentar / Os rostos que encontrares…

dog 2

4 — Tempo para matar e criar, / E tempo para todos os trabalhos e os dias em que mãos / Sobre o teu peito erguem, mas depois deixem cair uma questão…

DSC_0027

5 — Tempo par ti e tempo para mim / E tempo ainda para uma centena de indecisões, / E uma centena de visões e revisões, / Antes do chá com torradas…

6 on 6 o que te inspira 4

6 — E na verdade tempo haverá / Para dar rédeas à imaginação. “Ousarei?” e “Ousarei?” / Tempo para voltar e descer os degraus, / Com uma calva entreaberta em meus cabelos / (Dirão eles: “como andam ralos os teus cabelos”) / — Ousarei  /  Perturbar o universo? / Em um minuto apenas  há tempo / Para decisões  de revisões que um minuto revoga…

.


…daqui a pouco será outro ano, outra vida e eu também serei outra, mas levarei cada tecitura na memória e nas ranhuras do corpo. Grata a todos que foram fios dessa preciosa teia.


* trechos do poema “a canção de amor de J. Alfred Prufrock — tradução de Ivan Junqueira.

 

 

Cilene Mansini | Fernada AkemiIsabelle Brum  
Maria VitóriaMariana Gouveia | Obdulio Nuñes Ortega

Anúncios

8 comentários sobre “6 on 6 | Preto & Branco

  1. Luana Souza dezembro 21, 2018 / 21:04

    Eu salvei a segunda foto ou ela me salvou? Eu amei, Lunna!
    E não é que eu falhei com o 6 on 6 nos 45 do segundo tempo? Decidi que, infelizmente, não vou mantê-lo para o ano que vem, pois fico frustrada quando não consigo fazer algo do jeito que imagino, e a faculdade já vai usar bastante do meu tempo. Mas amei participar esse ano junto com o Interative-se. Tudo que você faz lá é incrível, moça!
    Aaah, e eu amo tanto fotos em preto e branco, mesmo que eu não use tanto esse efeito. Elas trazem uma certa monotonia, mesmo quando tiradas em momentos alegres.
    beijos :*

  2. Daniela Farah dezembro 22, 2018 / 11:49

    Lindo! Me inspirou a navegar pelo meu 2018. Gostei da forma como colocou as datas, pq esse ano realmente voou, não é?

  3. Patricia Monteiro dezembro 23, 2018 / 7:51

    O ano termina e é hora de fazer uma retrospectiva do que passou. Aprender com os erros e sorrir com os acertos. Adoro fotos em preto e branco, elas dão um ar de gostosa nostalgia a momentos felizes que ficam na lembrança.

  4. Belle dezembro 23, 2018 / 14:12

    Belo post, Lunna. Parabéns!
    As fotos assim, em preto e branco, eternizaram muito bom os momentos, assim como as linhas selecionadas do poema casaram perfeitamente com cada uma. Amei ❤
    Beijinhos e que em 2019 venham novos momentos para serem também eternizados!
    Isabelle
    https://livrosgatoscafe.wordpress.com/

  5. Juliana Sales dezembro 23, 2018 / 14:54

    Eu adoro fotos em preto e branco, acho que elas trazem toda uma poesia até para as fotos mais simples. Amei muito a quarta foto (porque a pessoa aqui ama cachorros, gatos e afins). E a primeira também achei incrível. Também gosto da ideia de poder navegar para frente e para trás no ano, (re)visitando coisas que aconteceram. E que 2019 nos traga coisas boas, mantenhamos a esperança nisso.

  6. Cilene Mansini dezembro 23, 2018 / 15:47

    Adorei as fotos, o P&B sempre trás um ar mais profundo, mas mesmo em preto e branco suas fotos mostram alegria e a carinha do cachorrinho é de um serzinho serelepe 🙂

  7. Retipatia dezembro 25, 2018 / 21:15

    Parece novamente que copiarei algum comentário meu de 2018… gosto do ritmo do post, de como casou as fotos com os trechos do poema. E acho até que o P&B também deu um toque a mais na leitura do conjunto da obra.
    Mas o que mais me pegou no post inteiro foi sobre a bobina. E comecei a pensar nos meses de janeiro a dezembro, a voltar minha fita e divagar… lembrei, é claro da rápida passagem em SP, que já quero repetir dose, com mais calma e tempo para apreciar.
    2018 foi turbulento, com muitos naufrágios (não é mesmo!?) e acho que agora é trabalhar para que 2019 seja diferente. Ainda que turbulento.
    xoxo

  8. Darlene R. dezembro 27, 2018 / 23:34

    Aprendi a apreciar Eliot através dos teus textos e do presente que me deu. Ainda não escrevi sobre ele pois de alguma forma não senti o momento certo, mas o farei cedo ou tarde. Como sempre, amei teu navegar, tuas fotos em preto e branco, tuas sensações sobre o ano que chega ao fim. É sempre uma delicia me aconchegar por aqui.
    Abraços carinhosos!

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s