6 on 6 | Urban Art

Novo ciclo… andanças-olhares-passos-calçadas-lugares… a cidade, que sou e a que me recebe com sua arte inconveniente — para uns e outros —, que nem sempre alcança olhares — o outro lado da rua-viaduto-alameda. Às vezes, fica no reboco… prestes a despencar das paredes frágeis — história reinventada tantas vezes.

Baudelaire disse “as cidades mudam mais depressa que a alma dos mortais“… e sempre que saio às ruas, levo comigo essa frase… na pele — feito tatuagem… e, na alma — para manter o olhar atento-disciplinado e nada me escape…

DSC_0041-1

1 — gosto imenso das frases que surgem em meio ao caos da novidade urbana. É uma espécie de grito que ultrapassa a janela do ônibus e pousa em meus olhos-ouvidos. Eu grito junto — o mais alto possível — do lado de dentro e rabisco nas paredes da pele-corpo um verso ou outro:

“a rua ia gritando e eu ensurdecia”.

.

2017-04-25 17.42.58

2 — gosto imenso quando a arte é interferência nos lugares… te olha de frente-encara e te diz um punhado de verbos que você não pode se recusar a conjugar.

“as persianas abrigam certas lúxurias”

.

Escadaria do Mirante 9 de Julho - São Paulo

3 — preciso que meu passo esbarre na realidade, consciente de que seu destino é o imaginário… certas frases são pontos em meus mapas secretos, que só quem me lê, reconhece.

“Farejando em cada canto os acasos da rima
Tropeçando em palavras como nas calçadas”

.

Biblioteca Mário de Andrade - São Paulo

4 — sempre existe a pergunta: o que é Arte? E até hoje não desenhei uma resposta possível-impossível. Não dá para atribuir um mísero significado sem deixar que algo se perca-desapareça. Mas, quando olho e algo gruda na retina e se espalha pela pele-amalgama… sei exatamente o que é Arte! E não dou a mínima para os contrários existentes no mundo dos outros.

“em cidades e campos, telhados e trigos
Exercito sozinho essa absurda esgrima”

.

Rodapé... Portugal

5 — as entradas e saídas. partidas e chegadas ou apenas um ou outro curioso (como eu) que se inquieta com a palavra deixada no chão (sabe-se lá há quanto tempo). Nem mesmo é o idioma local. Talvez remeta aos construtores do pequeno edifício de quatro andares, com sua escadaria de madeira que range subidas-e-descidas.

“paisagem feita de um sem-número de vidas”

.

Dos cenários que se reinventam, Berlim

6 — Gosto imenso quando todo o cenário é arte… uma espécie de pantomima. Tudo se forma-deforma-dissolve. Há tanto para olhar-provar-embriagar-sentir que a cada novo olhar, um novo elemento se exibe, te alcança e se perde…

“deem à cidade um pouco do vosso amor à paisagem”

.


.

Participam dessa interação

Ana Claudia | Maria Vitória | Mariana Gouveia | Obdulio Nunes Ortega 

.


Anúncios

25 comentários sobre “6 on 6 | Urban Art

  1. Juliana Sales janeiro 6, 2019 / 17:03

    Eu adoro post de 6 on 6, especialmente os seus, que as fotos vem acompanhadas de histórias e poesia. Gostei demais das fotos, especialmente a primeira e a última. Me deu até vontade de dar uma volta pela cidade e buscar coisas parecidas para fotografar. A cidade por aqui é pequenas mas nunca se sabe o que a gente pode encontrar, não é?

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 9:00

      Dessa vez eu escolhi Baudelaire, minha cara, porque ele e Mario de Andrade olharam para a cidade com tanta paixão que me reconheço no que dizem de Paris e São Paulo e ao andar por aí e tropeçar nessa arte urbana fica impossível não sentir a poesia deles em mim. Quando puder, caminhe por aí e faça fotos e me diga coo a sua cidade se organiza. São Paulo, posso lha firmar com certeza que ela se desorganiza naturalmente. rs

      bacio e que o ano por aí seja realmente novo

  2. Belle janeiro 6, 2019 / 17:27

    Que belas fotos, Lunna. Parabéns! E como sempre, bem acompanhadas de textos bem escritos. Amo!
    Gostei de todas as fotos deste 6 on 6, em especial esta última das cadeiras. Achei que o contraste de cores ficou tão “singular”, sabe?! Gostei mesmo.

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:59

      Olá, minha cara…
      Essa última foto foi mesmo um golpe de sorte, adoro quando o meu olhar tropeça nessas cenas cotidianas inesperadas.
      bacio

  3. Luana Souza janeiro 6, 2019 / 18:29

    Essa última foto está tão… aleatória e conceitual. Eu amo esse tipo de imagem, e concordo plenamente com a frase sobre as mudanças na cidade serem mais rápidas que as da alma. Parabéns pleos cliques, moça. É tão bom ter esses pedacinhos de como é a sua visão de mundo! *-*

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:58

      Eu ainda me lembro do dia em que fiz essa foto, era um passeio despretensioso… pouco depois da chuva. Eu precisava andar. Sou o tipo de pessoa que precisa se por em movimento para ajeitar as coisas dentro da mente e vi uma esquina com um móvel fechado, todo pichado e com uma seta para a porta ‘aqui jaz outro destino’. Fiquei a olhar para aquilo durante algum tempo e ao dobrar a esquina lá estavam as cadeiras na calçada e aquele cenário de fundo, tudo misturado. Eles usavam o lugar para dar nova vida para móveis antigos, colorindo-os. AMei. rs

      bacio

  4. Mariana Gouveia janeiro 6, 2019 / 19:33

    Ao ler seu post caminhei contigo por tuas ruas. Fui até aí!
    Saudades imensas de tu e de estar contigo.
    Bacio

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:55

      ah, você sempre caminha comigo, cara mia.
      Está sempre presente ao lado e eu sempre te aviso dos buracos nas calçadas para teres cuidado. rs
      bacio

  5. Kimberly Camfield janeiro 6, 2019 / 20:46

    Oi Lunna, que fotos lindas! Também adoro esbarrar com frases aleatórias pela cidade, ou uma arte enfeitando algum beco qualquer, mostrando que há vida e beleza por toda parte. É como se as ruas contassem histórias de todas as vidas que por ali passaram. Nunca esqueço durante uma viagem, em que em uma vielinha bem antiga mesmo, havia a frase “aqui, as ruas tem nome de amores perdidos”.

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:55

      Ah, que delícia de frase… adorei.
      Acho que as ruas, calçadas, muros, portões, casas e seus jardins sempre contam histórias e quando não, a gente inventa. rs
      grata pelo olhar carissima

  6. Jessie Bottari janeiro 6, 2019 / 21:34

    Adorei as suas fotos, especialmente a primeira. Você tem um ótimo olhar fotográfico. Esse seu post me deu vontade de sair e olhar as artes urbanas por um outro ângulo.

    jessicabottari.com

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:54

      Oi Jessie, não sei se tenho olhar fotográfico, mas curioso e atento, eu sei que ele é. Tento preservar aquela sensação de primeira vez, sabe? De ser surpreendida por tudo que há e não há por ai.
      Grata pelo seu olhar…
      bacio

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:53

      E como fala, meu caro… e quando a gente não ouve, ela grita mesmo. rs
      bacio

  7. Bia Paim janeiro 7, 2019 / 11:56

    amei as fotos! sou fã do seu trabalho maravilhoso! as fotos estão belíssimas!

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:52

      Grata pelo olhar, cara mia
      Bom estreitar nossos caminhos, estou a gostar imenso disso.
      bacio

      • Bia Paim janeiro 9, 2019 / 20:55

  8. ana claudia de angelo janeiro 7, 2019 / 18:18

    É uma coisa louca visualizar esse tipo de arte! Nos traz instintos, sensações, recordações… Me lembro de quando era criança. Estava aprendendo a ler. Década de 80. Quando voltava da escola, pelos muros eu ia tentando decifrar aqueles códigos. Não sei se era arte, ou apenas protestos, mas marcaram minha mente!
    Amei a intensidade do post, bem como essa proposta para iniciarmos o projeto em 2019!
    Feliz ano Novo!

    • Lunna Guedes janeiro 8, 2019 / 8:52

      Que delícia de lembrança que você compartilhou cá… uma delícia te imaginar ainda menina a percorrer os caminhos de escola para casa e o contrário disso também, com os olhos a tentar compreender grafias impossíveis. Adorei.

      Grata caríssima
      Que 2019 seja realmente inspirador

  9. sobrealeitura janeiro 11, 2019 / 19:08

    Belíssima escolha de fotos e palavras. O post ficou lindo, Lunna! Sou suspeita pra falar pois amo Arte Urbana.

  10. Fernanda Pedotte janeiro 12, 2019 / 7:25

    Lunna!!

    Que delícia de fotos! Principalmente a última! E nem falo dos dizeres, sou fã!
    Adoro o 6 on 6 e os seus, sempre divinos!
    Arte Urbana é sensacional.

    Bacio
    Fernanda

  11. Monique Dieli Chiarentin janeiro 12, 2019 / 13:25

    Adoro quando, no meio do caos da cidade, há sempre um murro ou parede mostrando uma pintura ou frase que se destaca e nos faz refletir. Infelizmente onde moro não tem nenhum grafite na cidade, pois moro em cidade pequena, mas sei que nas cidades grandes tem muito colorido e isso me fascina!

    Adorei suas fotos e seu olhas poético sobre essas belas pinturas espalhadas por aí 🙂

    Beijos
    http://invernode1996.blogspot.com

  12. Leitura Enigmática janeiro 13, 2019 / 0:28

    Adorei as fotos, principalmente a primeira e a última. Imagens públicas, mas chiques ao mesmo tempo, não se encaixam na famosa poluição visual, possuem uma característica enigmática e trazem um charme especial. Muito bom esse projeto, estão de parabéns!!!

    Gustavo
    http://www.leituraenigmatica.com

  13. Patricia Monteiro janeiro 13, 2019 / 8:18

    Que fotos estilosas, achei que combinaram perfeitamente com o tema. Amei a primeira, a liberdade sempre resiste, é quase um lema de vida. Em meio ao caos urbano há realmente muita arte, basta um olhar mais atento para absorvê-la.

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s