05 | uma receita de pão…

Tem certas coisas que são como rituais e eu os repito de tempos em tempos — sempre que alguma coisa acontece no mundo-vida-realidade e a vontade se espalha por todos os meus músculos e nervos, me pedindo qualquer coisa de calma-pausa e eu digo em voz alta, juntando a minha voz a de minha nonna em tempos distintos — vontade de fazer uma receita de pão. É algo bem simples. Busco pela vasilha de alumínio no fundo do armário e os ingredientes na parte alta  trigo, açúcar, ovos, leite, água morna, manteiga, sal, açúcar e fermento.
O curioso é que não existe receita é outra coisa. Recordo a infância, a cozinha com sua mobília, a louça e as panelas. O bule de café e as xícaras ao lado. A janela aberta para o quintal dos fundos, com a roupa a secar ao vento, no varal e os cães a rodopiar na grama.  A nonna dizia que cabia um inteiro numa receita de pão… uma manhã dourada de sol, uma tarde nublada e uma noite de lua cheia. Enquanto sovava a massa, me contava histórias. Soube que tinha aprendido a fazer pães com a nonna… ainda menina. Uma história que se repetia bem ali naquele verão.
Ela dizia com a voz morna… que aprendeu a escutar o próprio corpo para compreender a importância de uma receita de pão. A maneira como juntava os ingredientes com as mãos, sovava a massa e deixava crescer até dobrar de tamanho, para levar ao forno.
Vai tanto de mim nesse ritual: uma vida inteira… e quando o som se espalha pelo ambiente, o tempo volta a contar-somar-mistura: coisas de ontem e hoje. E quando a manteiga derrete na fatia do pão recém saído do forno… eu sei de que matéria sou feita!


b.e.d.a — blog every day august —
Adriana Aneli — Claudia LeonardiDarlene Regina
Mariana GouveiaObdulio Nuñes OrtegaViviane Almeida


Publicado por Lunna

É sagitariana... degustadora de café. Figura canina e uma típica observadora de pássaros. Paciência lhe falta desde a infância. Mas sobra-lhe sarcasmos para todas as coisas da vida que fazem mais barulhos que cigarras nos troncos das árvores. Aprecia o silêncio e falas cheias. As que se repetem com facilidade de boca em boca despreza... Lacaniana por opção.... E completamente apaixonada por mulheres que usam a escrita como uma navalha afiada que corta enquanto é carne. Escreve à noite e reescreve pelas manhãs. Gosta de calçadas e corujas. Anda sozinha ou acompanhada, tudo depende da fase... minguante é a sua preferida!

6 comentários em “05 | uma receita de pão…

  1. Não é só do seu pão que falo, nem do cheiro que ele exala assando… é dessa poesia-alquimia que eu presenciei e senti…
    ah, Dio Santo!

  2. Tive que ir pegar um pedaço de pão e uma xícara de café!!! Como assim não há receita, acho que falta da minha parte essa entrega para a arte de fazer pães, o último ficou duro, cru, uma tristeza…Fiz no começo da quarentena, já se vão mais de cem dias e não tentei fazer outro…
    Abraços

  3. Ah! Como a cozinha marca a vida de uma pessoa! Cresci ouvindo o raspar dos tachos de doces, o som do amassar das massas e as conversas animadas na cozinha – Minha avó sempre dizia que cozinha não é lugar de criança e queria me mandar pra fora, mas eu ia ficando e ficando por ali. Acabei aprendendo e me apaixonando pelo fogão, e, apesar de nunca ter pensado seriamente em ter filhos quando mais jovem, de uns anos pra cá me pego pensando em como seria bom ter uma criança em casa para compartilhar esses pequenos rituais diários… Quem sabe um dia?

    Abraços

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: