6 on 6 | nostalgia

6 on 6

Eu nunca fui uma pessoa nostálgica… gosto imenso de passear por certas lembranças, principalmente quando escrevo — é instintivo-natural, uma espécie de ferramenta que acesso quando preciso modelar meus textos, como se fosse uma brincadeira de criança — de posse daquelas massas coloridas, com as quais nunca quis brincar…

Por não ser uma figura saudosista, não sinto vontade ou necessidade de voltar no tempo — regressar a uma data-lugar-momento. Gosto de sabê-los em mim, como parte de mim. Fechar os olhos, respirar fundo e folhear esse livro que sou.

Dito isso… não foi fácil selecionar fotografias para o projeto. Gastei um par de horas a pensar na palavra e só consegui realizar um ensaio fotográfico ao mudar o foco e a emoção acerca da palavra…

1 — Sinto pulsar mais forte o cuore quando abro o baú feito pelo amore mio há quase uma década. Já guardei de tudo, aí dentro. Hoje é o refúgio dos livros que costuro. Ao menos, uma vez por dia, eu o abro para buscar por um livro — foi exatamente o que fiz há pouco: anoiteceu por aqui e eu quis a companhia de um livro de poesias…

2 – – Esse pequeno baú já viajou muitas casas-apartamentos-bairros… e sempre encontra um canto que combine com ele. É refúgio de minhas miudezas. Gosto de abri-lo nas manhãs de sábado, mas abri uma exceção para fotografá-lo nessa quinta…

3 — Eu sempre gostei de caixas e latas… culpa da nonna, que me ensinou a guardá-las. Nessa pequena caixa, eu guardei os postais que recebo dos amigos, em viagem. A correspondência que ainda chega pelos Correios e as folhas secas, que eu apanho pelas calçadas. Gosto de abri-la e esparramar tudo por cima do lençol ou da mesa…

4 — Ah, os meus envelopes… eu sou do tempo das correspondências — como já disse aqui –, da espera e da pressa de rasgar um envelope para ter notícias do outro. Nunca me perdi desse hábito. E é uma delícia revisitar as linhas, como se o ontem atravessasse por um halo, alcançando-me…

5 — Encontrei no fundo da caixa essa missiva escrita em um outono-outro… está guardada há tempos — há mais de uma década. Claro que me sentei no canto do sofá e a li novamente…

6 — Gosto de abrir as minhas caixas, os meus baús e espalhar tudo por cima da mesa… xícara de chá em mãos e dentro do corpo o cuore a pulsar como se fosse o velho carrilhão da minha infância. Uma pausa no tempo-presente para viajar por todos os elementos dos quais sou feita…

Isabelle BrumMariana GouveiaObdulio Nuñes Ortega

Publicado por Lunna Guedes

Sou sagitariana... degustadora de café. Figura canina e uma típica observadora de pássaros, paisagens, pessoas e lugares. Paciência é algo que me falta desde a infância. Mas sobra sarcasmos para todas as coisas da vida que fazem mais barulhos que cigarras nos troncos das árvores. Aprecio o silêncio e falas cheias, escreve-se em prosa por apreciar a escrita em linha reta. Tenho fases como a lua... sendo a minguante a minha preferida!

5 comentários em “6 on 6 | nostalgia

  1. Referências materiais que carregam lembranças não apenS por seu conteúdo, mas também por tudo o que significam simbolicamente – coisa tão humana, que dói…

  2. Que pena, assim como você, me perdi entre fotos, correspondências, objetos… As horas dominaram meu dia e acabei não fazendo a postagem tamanha dúvida sobre o que escolher. Fica para uma próxima. Muito boas suas lembranças.

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: