As cores do uniforme da Squadra Azurra

Cheguei cedo, pouco depois das dez e como o lugar estava vazio, pude escolher onde me sentar… pedi um latte e aguardei… Z., chegou pouco depois das onze e eu tive tempo de me dedicar a um texto que precisava de reparos…

Conversamos sobre tudo e nada, como de costume. Ele estava incomodado com o ritmo de um texto que deveria ser entregue até o final da tarde. Pediu que eu o lesse… e para o meu espanto, estava todo escrito em seu pequeno caderno. Foi como ter o cuore de Z., a pulsar em minhas mãos. tum tum tum tum…

Os meus dedos coçaram a medida que eu lia… queria riscar-reescrever, trocar palavras. Mas amarrei as mãos e o único movimento que eu permitia era o virar a pequena folha amarelada quando necessário.

O texto não estava ruim… mas carecia de cuidados. Algumas frases precisavam de reparos. Uma palavra por outra. Cortes e recortes… meia hora depois, estava pronto e voltamos a tagarelar a realidade. Ele recordou Nelson e suas crônicas sobre futebol. Ninguém escreveu com tanta paixão a respeito desse tema… eu concordei, embora tenha preferência pelo Nelson que escrevia a respeito das hipocrisias da sociedade.

E quando levei a boca o último gole de café… reparei que ele estava com o cenho franzido e o intimei: diga. Ele disse que não queria me aborrecer. Mas havia tempos que um assunto o incomodava e não tinha conseguido uma resposta plauzível: por que a camisa da seleção italiana é azul? 

Não era a primeira vez que me faziam essa pergunta. A maioria não entende porque o azul não está em nossa bandeira: vermelha, verde e branca. Mas é uma resposta bem simples. A cor da Squadra Azzurra é uma homenagem aos Savóias, a família real que protagonizou a unificação da Itália no século XIX. O azul era a cor oficial da realeza italiana.

E como ele — assim como eu — gosta de história… expliquei o processo de intervenção que a Itália sofreu por parte das medidas firmadas pelo Congresso de Viena de 1814, quando foram firmados os acordos consolidados, que dividiram a Itália em oito estados independentes e alguns deles ficaram sob o controle da Áustria.

O Risorgimento teve dois grandes momentos… o primeiro ficou marcado por um embate contra a Áustria por volta de 1848/49 e o segundo quando se declarou a existência do Reino da Itália, no qual foi anexado o estado de Roma, que antes era a capital do estados Pontifícios e os Reinos de Sardenha, Lombardia, Vêneto, das Duas Sicílias, Ducado de Módena e Reggio, Grão-Ducado da Toscana e o Ducado de Parma.

A azul passou a figurar nos uniformes da seleção, em 1911, quando o país ainda era uma monarquia e quando houve a mudança de regime para o republicano, optou-se pela troca do escudo real (vermelho, com uma cruz branca) por outro… com os tons da bandeira nacional: verde, branco e vermelho.

E finalizei o assunto, contando uma curiosidade que ouvi de mio nonno, durante as nossas prosas de verão, na infância… O primeiro uniforme da seleção italiana era branco, por causa do preço do tecido. Em 1937, a equipe adotou um modelo preto que era a cor símbolo do governo fascista de Benito Mussolini. Felizmente, o azul voltou após o fim da Segunda Grande Guerra.

A cor do uniforme da Squadra Azzurra influenciou times de diversas colônias italianas pelo mundo todo, inclusive no Brasil. O Palmeiras antes do verde-atual, usava o azul em seu uniforme, assim como o Cruzeiro, que ainda mantém o azul em seu uniforme-principal.

Ele cruzou os braços a frente do corpo e decidiu que a minha resposta merecia um late… e brindamos a minha Squadra Azzurra, que nesse ano não se classificou para a Copa no Qatar e eu estou molto felice por isso. Até porque somos os atuais campeões da Euro.

b.e.d.a — blog every day august — um desafio que surgiu para agitar os dias
de abril e agosto nos blogues e comemorar o Blog Day

Alê Helga – Darlene Regina – Mariana Gouveia
Mãe Literatura – Obdulio Nuñes Ortega

Publicado por Lunna Guedes

Sou sagitariana... degustadora de café. Figura canina e uma típica observadora de pássaros, paisagens, pessoas e lugares. Paciência é algo que me falta desde a infância. Mas sobra sarcasmos para todas as coisas da vida que fazem mais barulhos que cigarras nos troncos das árvores. Aprecio o silêncio e falas cheias, escreve-se em prosa por apreciar a escrita em linha reta. Tenho fases como a lua... sendo a minguante a minha preferida!

8 comentários em “As cores do uniforme da Squadra Azurra

  1. Excelente postagem. Instrutiva e narrando fatos que desconhecia. Futebol é cultura e você bem demonstra isso por aqui, em um blog bem interessante e com textos coerentes e coesos. Parabéns, voltarei mais vezes. Telinkei por lá,. Abraços, Leandro

  2. Sabe que eu desconfiava que você estivesse feliz com o vexame italiano? Pensei nisso assim que eu li a notícia. Até iria comentar com você, mas estava tão ocupada naqueles dias. Enfim, eu também ficaria feliz se o Brasil não fosse para o Qatar. Não gosto dos países que insistem em ser regidos por moralismos estragados.
    Eu adorei a história, tinha lido algo bem menos na super interessante, nada tão completo.
    Acho a camisa italiana muito bonita.

    Ps. Eu também já tinha pensado em lhe fazer essa pergunta, mas engoli. Ainda bem que o Z a fez.
    Estou cada vez mais curiosa em saber quem é esse senhor aí.

    bisous

  3. A Squadra Azzurra daria trabalho na Copa. Supostamente, o futebol e outros esportes deveriam ultrapassar as fronteiras nacionais e se aterem ao jogo, apenas. Utopia, obviamente. Outro detalhe é que apesar da antipatia pelos austríacos que dominaram parte dos Estados italianos, mas se aliaram a Alemanha governada por um austríaco. Bem, Mussolini explica muita coisa. Agora o azul da camisa italiana è il più bello che c’è!

    1. A realidade é política, meu caro desde que tentamos nos organizar enquanto sociedade. O esporte também é político e, pior, é movido pela “força da grana que ergue e destrói coisas belas” e, é por isso, que a copa será no Qatar.

      E eu não consigo ficar indierente ao que acontece por lá. Não assisti as corridas de F1 que foram realizadas por lá e não acompanho um único esporte que pise em solo extremista.

      O Qatar é um país conservador onde mulheres e grupos de gays e lésbicas tem menos direitos que os homens, que tem voz soberana e hipocrisia aplaudida. Mas eles vão se esforçar para que, durante a copa, isso não seja evidente, disseram até, olha que fofo, que vão permitir bandeiras lgbtqi+ nos estádios.

      Quanta emoção.

      E como os meus principios não estão a venda, não assistirei a um único jogo dessa farsa, quero dizer Copa porque se trata de uma questão política para mim e faz muito tempo que prefiro os jogos da Euro que tem uma organização muito melhor que a FIFA e sua conhecida politicagem.

  4. Respeito a sua postura. E a defendo. O que acontece no Qatar é realidade em mais da metade do mundo, você sabe. Vivemos nele. Tentar estar nele com as nossas convicções é um ato de coragem e autenticidade.

Pronto para o diálogo? Eu estou (sempre)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: