06 on 06 | A …gosto!

Agosto é um mês curioso para mim… me remete a muitos ontens que eu coleciono dentro. Quando aprendi a recuar o passo e a dizer não em voz alta. Que o tempo é uma ilusão… e não serve para medir vontades-desejos. Que as coisas que realmente importam são as que me fazem lembrar quem sou.Continuar lendo “06 on 06 | A …gosto!”

05 | uma receita de pão…

Tem certas coisas que são como rituais e eu os repito de tempos em tempos — sempre que alguma coisa acontece no mundo-vida-realidade e a vontade se espalha por todos os meus músculos e nervos, me pedindo qualquer coisa de calma-pausa e eu digo em voz alta, juntando a minha voz a de minha nonnaContinuar lendo “05 | uma receita de pão…”

04 | Alice

Começo de uma tarde quente, num tempo anterior a esse, quando sair para encontrar pessoas era uma possibilidade. Quase uma e na agenda do dia… uma lista de coisas anotadas e deixadas para depois… da chuva.Uma curiosidade natural dos nossos encontros. Sempre chovia e a  Alameda… alagava.Eu chegava primeiro… mania antiga. Sou o tipo deContinuar lendo “04 | Alice”

03 | casas também são personagens…

Eu gosto imenso de sair para andar calçadas-ruas… e essa foi a parte mais difícil quando o #fiqueemcasa (se puder) se estabeleceu como nova regra de sobrevivência. A minha escrita sempre esteve atrelada aos meus passos. Escrever e andar sempre fez parte do meu processo criativo…Muitos capítulos — inteiros ou pela metade — de meusContinuar lendo “03 | casas também são personagens…”

02 | os livros a…gosto da leitora que sou!

É comum me perguntarem… como escolho os livros que leio durante o mês. Não sou fã de listas dos mais lidos e tenho pouco apreço por indicações.  Algo que foi bastante comum na minha infância-juventude. Li a relação completa oferecida pela professora-bibliotecária-amigos-artistas. Gostei mais de uns que de outros mas, os li por inteiro… daContinuar lendo “02 | os livros a…gosto da leitora que sou!”

01 | A… gosto de Kairos!

Agosto está por aqui… de novo! E eu gastei um par de horas nubladas a pensar os meses acumulados até aqui. Tudo que eu consegui foi pensar em uma pilha de roupas por dobrar. Daquelas que a gente deixa acumular e entrega ao depois — esse tempo impossível — a tarefa.E como roupas não seContinuar lendo “01 | A… gosto de Kairos!”

10 | os discos da minha infância…

Quando menina eu gostava de espiar as capas dos discos do mio babo… para tentar adivinhar qual deles seria o escolhido para girar na vitrola, na próxima noite de sábado. Era um dos nossos rituais. Ele definia o cardápio… eu e C., saiamos para buscar os ingredientes e à noite… ele escolhia a trilha sonoraContinuar lendo “10 | os discos da minha infância…”

6 on 6 | calendário particular

Escolhi a trilha sonora para espiar os dias-semanas-meses — cannonball do damien rice — e vim me sentar aqui, na varanda… esse meu-cenário-lugar desde que a realidade eclipsou. Alguém me disse que estava a viver um sábado depois do outro… o que me fez sorrir, já que tenho imenso apreço por esse dia, que meContinuar lendo “6 on 6 | calendário particular”

03 | Aquele ontem amanheceu de novo…

“É porque existe o desejo, o olfacto, es o medo, e os vivos apaixonam-sepor outros vivos, e lembram-se, por vezes, do enorme número de mortos;e dentro destes há alguns que os fazem desligar a luz e o trabalho,e o quotidiano aí já não basta, porque o coração tem em certos diasum orçamento incomportável”. Gonçalo M.Continuar lendo “03 | Aquele ontem amanheceu de novo…”

02 | A Persona!

Eu tinha quase vinte — ela vinte e seis! Eu era recém-chegada… e ela parecia estar lá desde sempre, com seus olhos cor de caramelo. Os meus eram cor de café expresso. Ela sentava-se na primeira fileira de cadeiras — e eu mais ao fundo… nas últimas. Não nos falamos nas primeiras vezes, apenas nos olhamosContinuar lendo “02 | A Persona!”