6 on 6 | Equinócio

Faz algum tempo — vivendo em São Paulo —, que eu percebi que é impossível compreender as estações do ano. Percebi, no entanto, que existe qualquer coisa de satisfação por parte das pessoas — habitantes da metrópole —, em dizer em voz alta: em São Paulo temos as quatro estações do ano dentro de umContinuar lendo “6 on 6 | Equinócio”

06 on 06 | A …gosto!

Agosto é um mês curioso para mim… me remete a muitos ontens que eu coleciono dentro. Quando aprendi a recuar o passo e a dizer não em voz alta. Que o tempo é uma ilusão… e não serve para medir vontades-desejos. Que as coisas que realmente importam são as que me fazem lembrar quem sou.Continuar lendo “06 on 06 | A …gosto!”

6 on 6 | calendário particular

Escolhi a trilha sonora para espiar os dias-semanas-meses — cannonball do damien rice — e vim me sentar aqui, na varanda… esse meu-cenário-lugar desde que a realidade eclipsou. Alguém me disse que estava a viver um sábado depois do outro… o que me fez sorrir, já que tenho imenso apreço por esse dia, que meContinuar lendo “6 on 6 | calendário particular”

6 on 6 | através da minha janela, eu vejo…

Nos últimos dias-semanas-meses estou a viver em isolamento social. Saio de casa apenas para o necessário: fazer compras no supermercado-farmácia e é o suficiente para me aborrece com o comportamento humano-local que repete o do homem eleito — um boçal.Volto para a casa e tento deixar no capacho da porta, todo o meu desconforto. HáContinuar lendo “6 on 6 | através da minha janela, eu vejo…”

6 on 6 | Quem sou eu?

Gastei uma hora bem cheia… pensei-pensei-pensei e posicionei o grafite no topo da página. Liguei o som na música favorito dos últimos dias — se quiser ler com trilha sonora é só clicar aqui. Mas, aviso que falhamos miseravelmente: o grafite e eu!Coloquei a chaleira no fogo… dei passos pelos cômodos. Em outros tempos teriaContinuar lendo “6 on 6 | Quem sou eu?”

6 on 6 | monocromático

Nas férias de verão, a gente se sentava na sala com a nonna para virar as páginas dos álbum de fotografias — ritual comum em nossos fins de tarde alaranjados. Era a maneira de saber quem havia nos deixado-crescido-chegado. Ela colava uma a uma as fotografias em um velho álbum, que parecia um livro deContinuar lendo “6 on 6 | monocromático”

6 on 6 | bonappetito

O que me agrada na cozinha são as relações que traçamos a medida que dispomos os ingredientes. Não importa se eu cozinho para um-dois-três ou mais. O instante em que defino o que farei… é o melhor dos momentos. Penso os pratos-talheres-corpos-taças… a mesa. As panelas que irei usar e os ingredientes — que gostoContinuar lendo “6 on 6 | bonappetito”

6 on 6 | cores

Eu não tenho apreço pelas cores… primárias-secundárias ou terciárias. Gosto imenso da ausência de luz. Dos borrões que misturam todas as formas e nos obrigam aos outros sentidos. Ocasionalmente eu fecho os olhos para ver dentro — escutar as batidas do cuore. Sentir através do tato — são outras formas de ver. Mas não nego,Continuar lendo “6 on 6 | cores”

6 on 6 | Os lugares por onde andei…

Janeiro sempre me convida a andar e sometimes me surpreende com seus múltiplos cenários e espaços inusitados. Baudelaire disse “as cidades mudam mais depressa que a alma dos mortais“… e sempre que saio às ruas, levo comigo essa frase na pele… para manter o olhar atento-disciplinado e para que nada me escape… 01 — gostoContinuar lendo “6 on 6 | Os lugares por onde andei…”

6 on 6 | Meus livros…

É por isso que dou tanto valor à pequena frase ‘não sei’. É pequena, mas voa com asas poderosas. Expande nossa vida para incluir espaços que estão dentro de nós, bem como vastidões exteriores em que a nossa minúscula Terra pende suspensa. — Wislawa Szymborska — . . Eu cresci em uma casa com livros…Continuar lendo “6 on 6 | Meus livros…”