Catedral da Sé

Igreja gótica de São Paulo Marco zero da Capital Sai para caminhar pelas ruas do centro velho e acabei no Marco zero da capital… e me deparei com a Catedral gótica e todos os seus fantasmas. Subi os degraus, ocupados por indigentes: quem pode se definir de outra maneira nessa cidade? Depois de percorrer oContinuar lendo “Catedral da Sé”

Con.Vi.Ver

Vila Itororó Fiz essa foto num tempo anterior a esse… quando o meu passo tinha como destino a Alameda Santos. Lembro-me que a noite me convidou a caminhar e eu dei aos meus pés o sabor das calçadas da Avenida Paulista até a Brigadeiro Luís Antônio… Fui perfazendo os caminhos, sem mapas… sentindo o piso,Continuar lendo “Con.Vi.Ver”

Não perca o seu olhar estrangeiro

                                                   em ruínas Saímos para andar pelo bairro com suas ruas para baixo entrecortadas por inúmeras vielas e acabamos nos perdendo dos passos e dos caminhos… foi quando avistei essa construção. O muro foi o que me chamou a atenção. E como o portão estava entreaberto, espiei o lado de dentro e avistei o queContinuar lendo “Não perca o seu olhar estrangeiro”

Olhar estrangeiro

Boulevard São Bento Fiz essa foto com uma câmera nikkon usando filme preto e branco… durante um passeio pelo centro velho de São Paulo… apontava a câmera para todas as direções e flagrei esse caminhar solitário numa manhã de domingo de inverno. Encontrei a fotografia que foi revelada em uma dessas casas antigas numa dasContinuar lendo “Olhar estrangeiro”

Leaves of Grass

na vitrolinha Quando menina, comecei a colecionar folhas… fomos caminhar e C., inventou uma brincadeira: tentar interromper a tragetória do voo de uma folha qualquer, antes que aterrissasse no chão. Claro que eu topei e passamos horas na praça, tentando agarrá-las. Foram muitos quases, mas nenhum sucesso. Nos divertimos horrores. Exaustas… deitamos na grama eContinuar lendo “Leaves of Grass”

Ruínas urbanas…

Essa é uma foto de arquivo… do tempo em que eu saía pela cidade com uma câmera em mãos. A encontrei ao vasculhar um dos meus cartões de memória. Sensação estranha. Eu sou uma pessoa adepta a modernidade. Não tive dificuldade em substituir minha velha máquina de escrever por um computador e outro e depoisContinuar lendo “Ruínas urbanas…”

Um recorte antigo

Fotografei essa janela em uma manhã nublada em que peguei a câmera e saí para caminhar. Eu morava no Alto da Lapa — um bairro grudado em outros tantos bairros-vilas… coisa bastante comum. Eu tinha algumas trilhas que gostava de percorrer por lá. Uma delas me levava até a Biblioteca Cecília Meireles e seus arredoresContinuar lendo “Um recorte antigo”

tinha outra janela no meio do caminho

Nos primeiros anos em São Paulo… eu saia com uma câmera a tiracolo e, quando algo chamava a minha atenção, disparava o clique… Foram centenas de registros. Naqueles dias, eu precisava esperar alguns dias pelo resultado. Completar os rolos de filmes… removê-los da câmera e levá-los a um dos espaços para revelá-los. Lembro-me da surpresaContinuar lendo “tinha outra janela no meio do caminho”

uma velha casa no bairro

A primeira vez em que esbarrei nessa construção antiga foi num fim de tarde… eu gosto imenso de sair para caminhar para dar movimento aos meus pensamentos — o que permite escrever no ar, nas paredes do corpo… pontuando melhor as minhas futuras-frases. Essa casinha sobrevivente é uma das minhas paisagens favoritas… e não façoContinuar lendo “uma velha casa no bairro”

Theatro Municipal de São Paulo 

Um dos mais importantes Theatros do país foi construído porque o outro teatro da cidade — o São José — foi totalmente destruído por um incêndio, no ano de 1898.  O projeto ficou nas mãos do ilustre Ramos de Azevedo e dos italianos Cláudio e Domiziano Rossi. A construção teve início em 1903 e durou 8Continuar lendo “Theatro Municipal de São Paulo “