O que ando a ler | (in)versos

Eu não sei se nos conhecemos em junho… não me lembro. Nem tudo a memória guarda. Algumas coisas, mesmo que preciosas, perdem-se no vácuo de nossa existência. São os famosos espaços em branco que os poetas tanto gostam de preencher. E que sorte temos nós de haver poetas no mundo… Quando conheci Suzana Martins, elaContinuar lendo “O que ando a ler | (in)versos”

O que ando a ler | Solombra…

Que eu gosto — de ao cair da tarde — colocar a chaleira no fogo para preparar uma xícara de chá… não é novidade. Enquanto espero, caminho pelos cômodos da casa, apreciando os meus passos pelo piso-frio e me deixo conduzir até a prateleira, onde escolho um livro de poesias a partir do tato, semContinuar lendo “O que ando a ler | Solombra…”

O que ando a ler | Colcha de Retalhos

Preparei uma xícara de chá e fui observar a manhã que despencou na minha janela… mãos aquecidas pela xícara e o corpo enrolado em uma manta. Fechei os olhos para levar para dentro os aromas da cidade. Engana-se quem pensa que na Paulicéia — nada — desvairada não se respira bem. Há dias mais difíceisContinuar lendo “O que ando a ler | Colcha de Retalhos”

O que ando a ler | Quinta das especiarias

Um dos meus lugares favoritos da casa… é a cozinha. Adoro a alquimia dos ingredientes, a magia das panelas. Mas eu não sou uma pessoa de receitas… Quem já frequentou os jantares que ofereço aos amigos, sabe que eu sou movida pelos meus instintos. O aroma é minha principal ferramenta na hora de combinar ingredientes:Continuar lendo “O que ando a ler | Quinta das especiarias”

07  |  O que ando a ler | Diário íntimo

Escrever um diário foi meu primeiro exercício de escrita… ganhei o caderno de capa vermelha no final de uma tarde em meados da minha primeira década de vida. Passei dias a espiar aquela geografia irregular. Um mapa sem cardeais, apenas um Norte… a palavra diary escrita em dourado. Nos estranhamos e fim!Foi me dada aContinuar lendo “07  |  O que ando a ler | Diário íntimo”

O que ando a ler | Paul Auster

Março começou… mas eu ainda não comecei nada. Nem o projeto do ano em que irá abrigar-agasalhar a minha escrita, nem os projetos que invento e reinvento dentro dos dias. Estou pelo caminho… a flutuar no espaço, like always.Eu li muito — de tudo um pouco nos últimos dias. De poesias outras-alheias. Algumas linhas… euContinuar lendo “O que ando a ler | Paul Auster”

O que ando a ler | o fio das missangas

“A vida é um colar. Eu dou o fio, as mulheres dão as missangas. São sempre tantas as missangas.” . Fui até a prateleira em busca de afago e, após folhear versos de Borges, esbarrei no livro de contos o fio das missangas de Mia Couto. E como não consegui me lembrar da última leitura feita…Continuar lendo “O que ando a ler | o fio das missangas”

O que ando a ler | viagens no scriptorium

“Vista dos confins mais distantes do espaço, a Terra não é maior que uma partícula de poeira. Lembre-se disso na próxima vez que escrever a palavra “humanidade”. Paul Auster, em “viagens no scriptorium” . Quando completou cinquenta anos, Paul Auster escreveu — para celebrar o momento — o livro “da mão para a boca”… revelandoContinuar lendo “O que ando a ler | viagens no scriptorium”

10 | Como se lê poesia?

. Dizem que o tempo ameniza / Isto é faltar com a verdadeDor real se fortalece / Como os músculos, com a idade Emily Dikcinson . Fui à prateleira e voltei de lá com um livro de poesias — o outro, o mesmo de Jorge Luis Borges. Coisa bastante comum por aqui porque como eu escreviContinuar lendo “10 | Como se lê poesia?”

3 | O que ando a ler | Ana Cristina César

  — “As palavras escorrem como líquidos” — . Sempre que preciso fazer uma pausa na minha vida real das coisas e suas causas… ou quando tudo se complica nesse mundo feito por homens para homens — recorro a poesia… que é sem dúvida o meu melhor argumento. Embora não saiba brincar de fazer versos.Continuar lendo “3 | O que ando a ler | Ana Cristina César”