07  |  O que ando a ler?

Escrever um diário foi meu primeiro exercício de escrita… ganhei o caderno de capa vermelha no final de uma tarde em meados da minha primeira década de vida. Passei dias a espiar aquela geografia irregular. Um mapa sem cardeais, apenas um Norte… a palavra diary escrita em dourado. Nos estranhamos e fim! Foi me dadaContinuar lendo “07  |  O que ando a ler?”

A imaginação pornográfica

Passei um par de minutos a falar com o teto depois de ler o ensaio de Susan Sontag — a imaginação pornográfica —, em que ela defende a ideia de que ninguém deveria falar da pornografia sem antes reconhecer a existência das pornografias. No ensaio, publicado no Brasil pela Companhia do Bolso, ela propõe considerar trêsContinuar lendo “A imaginação pornográfica”

O que ando a ler

  Março começou… mas eu ainda não comecei nada. Nem o projeto do ano em que irá abrigar-agasalhar a minha escrita, nem os projetos que invento e reinvento dentro dos dias. Estou pelo caminho… a flutuar no espaço, like always. Eu li muito — de tudo um pouco nos últimos dias. De poesias outras-alheias. AlgumasContinuar lendo “O que ando a ler”

A poesia de sophia…

  Meio-dia. Um canto da praia sem ninguém. O sol no alto, fundo, enorme, aberto, Tornou o céu de todo o deus deserto. A luz cai implacável como um castigo. Não há fantasmas nem almas, E o ar imenso solitário antigo Parece bater palmas.     No ano que passou, desisti de ler jornais-revistas eContinuar lendo “A poesia de sophia…”

09 | eu abandono livros por aí

às vezes, sinto que perdi os teus melhores anos os melhores são aqueles em que entendemos as coisas pela metade meia ciência sobre uma planta — metade do Homero lido meio sonho numa caminhada ao entardecer meio futuro envolvido em mistério por não se entender metade do passado Mario Osório Eu não coleciono livros… emboraContinuar lendo “09 | eu abandono livros por aí”