Ainda o quase

Eu sei dos calendários e de seus dias em fila — mas, não sei absolutamente nada das datas que eles anunciam-medem. Conheço a sequência… em idiomas vários. Gosto imenso de Lunedi — em italiano. Miercóles — em espanhol. Friday — em inglês. Dimanche — em francês… mas eu vivo perdida da realidade demarcada por humanos emContinuar lendo “Ainda o quase”

Quase Quarenta

Aproveitar o tempo!Ah, deixem-me não aproveitar nada!Nem tempo, nem ser, nem memórias de tempo ou de ser!…Deixem-me ser uma folha de árvore, titilada por brisa,A poeira de uma estrada involuntária e sozinha,O vinco deixado na estrada pelas rodas enquanto não vêm outras,O pião do garoto, que vai a parar,E oscila, no mesmo movimento que oContinuar lendo “Quase Quarenta”

03 | Meus cabelos grisalhos…

Eu tinha catorze anos quando ao escovar minha cabeleira, observei um cabelo branco e fiz uma enorme festa diante do espelho. A nonna — figura central de minha infância, uma das mulheres incríveis com quem tive o imenso prazer de conviver — tinha longos fios brancos, que eu admirava e desejava.Pode parecer pouco… um mísero fioContinuar lendo “03 | Meus cabelos grisalhos…”