A… gosto!

Há tempos que não tenho um calendário por perto. A agenda do Google me posiciona/atualiza. Mas não aponta os dias em um pedaço de papel com aqueles números coloridos, capitaneados por um nome. A agenda de papel — artesanal e exclusiva — oferece esse Norte, mas como de costume, escapo dos dias-semanas-meses ao avançar eContinuar lendo “A… gosto!”

É pau, é pedra… é o fim do caminho!

Eu sou toda rituais e por ser assim, desde a infância… é que não dou a mínima para o que diz o calendário e seu estranho combinado de dias inteiros, ou pela metade… com semanas que mal começam e terminam.Certa vez, o mio babo me disse que as datas foram inventadas caprichosamente para nos comprometerContinuar lendo “É pau, é pedra… é o fim do caminho!”

16  |  Minha lista de medo (aos treze)

Encontrei no acaso do próprio acaso… a minha antiga agenda colegial — ferramenta habilidosa para se organizar e adquirir disciplina na lida com os afazeres, que se multiplicavam de um dia para o outro em meu tempo colegial. Eu tinha — em meus dias de estudante — o estranho hábito de fazer listas… coisa que hojeContinuar lendo “16  |  Minha lista de medo (aos treze)”