Ruínas urbanas…

Essa é uma foto de arquivo… do tempo em que eu saía pela cidade com uma câmera em mãos. A encontrei ao vasculhar um dos meus cartões de memória. Sensação estranha. Eu sou uma pessoa adepta a modernidade. Não tive dificuldade em substituir minha velha máquina de escrever por um computador e outro e depoisContinuar lendo “Ruínas urbanas…”

uma velha casa no bairro

A primeira vez em que esbarrei nessa construção antiga foi num fim de tarde… eu gosto imenso de sair para caminhar para dar movimento aos meus pensamentos — o que permite escrever no ar, nas paredes do corpo… pontuando melhor as minhas futuras-frases. Essa casinha sobrevivente é uma das minhas paisagens favoritas… e não façoContinuar lendo “uma velha casa no bairro”

03 | casas também são personagens…

Eu gosto imenso de sair para andar calçadas-ruas… e essa foi a parte mais difícil quando o #fiqueemcasa (se puder) se estabeleceu como nova regra de sobrevivência. A minha escrita sempre esteve atrelada aos meus passos. Escrever e andar sempre fez parte do meu processo criativo…Muitos capítulos — inteiros ou pela metade — de meusContinuar lendo “03 | casas também são personagens…”