Criando e desenvolvendo o personagem

Depois de observar por um bom tempo… a parede-branca da sala onde me sentei para escrever o meu romance, dei pelo movimento frenético dos meus dedos no teclado. Como se houvesse um horário pré-agendado no mundo para a escrita acontecer e pronto. Não contei as palavras, as linhas ou o tempo — como fez JackContinuar lendo “Criando e desenvolvendo o personagem”

08 | vermelho, por dentro!

Eu estava em Paris — dias de abril — para um reencontro combinado no dia anterior. Tinha escolhido a mesa, feito o pedido e me acomodado na cadeira do Café de Flore — para esperar por Pr e juntos comer blinis e beber café no mesmo lugar que Beauvoir e Sartre. Eu sempre chego antes aosContinuar lendo “08 | vermelho, por dentro!”

07 | A pessoa que não somos

  “e eu sensível apenas ao papel e à esferográfica: à mão que me administra a alma” — Herberto Helder —   Sai para andar calçadas, sem destino com lugares-espaços ou compromisso com a cidade. Era apenas eu, os meus passos e as coisas que trago dentro: personagens-tramas-enredos-canções-notas-para-daqui-a-pouco… e o desejo de ter em mãos umContinuar lendo “07 | A pessoa que não somos”

Um episódio…

Gosto imenso de sair para caminhar antes do dia devolver todas as coisas aos seus devidos lugares porque a noite faz isso: transforma tudo em um borrão de tinta — difícil de limpar — no canto da mesa. Antes de se acender a manhã é possível apreciar os contornos suaves de ruas e avenidas, praças…Continuar lendo “Um episódio…”