Um ano depois…

Eu não sou uma pessoa de somas, mas a contagem dos dias-semanas-meses-um-ano-inteiro… me deixou em suspenso nos últimos dias, a calcular rotas-distâncias. A procurar por algo onde pousar o olhar e me sentir na condição de Álvaro de Campos a rascunhar um soneto. Meu coração é um almirante louco que abandonou a profissão — éContinuar lendo “Um ano depois…”