* E todo o desacordo de Babel

…sentei-me aqui, nesse fim de tarde-começo de noite (fria) de outono, para responder uma missiva que há dias queima em minhas mãos. As palavras flutuam por dentro, como de costume. Mas não deixam o invólucro… porque preservo alguns pequenos hábitos. Eu preciso ser noite, xícara de chá, silêncio, folha de papel, envelope e selo aoContinuar lendo “* E todo o desacordo de Babel”