15 | Pessoa e eu!

“Meu coração é um almirante louco que abandonou a profissão do mar”. — foi o que disse Campos, em um de seus poemas que termina com a pergunta: “e onde diabo estou eu agora com almirante em vez de sensação?”… …esse foi o primeiro poema de Campos que li em voz alta. Estava a andarContinuar lendo “15 | Pessoa e eu!”

10 | o meu mundo…

Acordei cedo e fui para a varanda observar a cidade sonolenta. Manhã de sexta-feira… e eu a repetir, feito um mantra: hoje é sexta… hoje é sexta… hoje é sexta — sem consequência alguma em minha mente-pele, que seguiu o curso do nåo-saber… coisa bastante comum nesse meu mapa de vivências irregulares.Enquanto aguardava pelo apitoContinuar lendo “10 | o meu mundo…”

14 | minha pele tem suas próprias estações

“o diário é um veículo para o meu sentido de individualidade. Ele me representa como emocional e espiritualmente independente. Portanto (infelizmente) não apenas registra minha vida real, diária, mas sim, em muitos casos – oferece uma alternativa para ela”. — Susan Sontag — . Sigo a envelhecer… tanto quanto o dia, que se manteve desguarnecido,Continuar lendo “14 | minha pele tem suas próprias estações”