É tempo de sentir maio…

O vento cortas os seres pelo meio,Só um desejo de nitidez ampara o mundo…Faz sol. Fez chuva. E a ventaniaEsparrama os trombones das nuvens no azul. (…) Mário de Andrade,Momento (abril de 1937) Enfim, aconteceu Maio… e é outono por aqui, segundo o calendário, mas eu confesso que ainda penso nas cores da primavera que floresceContinuar lendo “É tempo de sentir maio…”

16 | velhos hábitos

setembro. outro lugar. realidade. recordei a lista de material escolar. a escola não era o meu lugar preferido-favorito. era apenas um lugar. causa maior de meus cansaços. gostava mesmo era do ritual de papelarias. escolher os cadernos. adquirir os livros. sentir o cheiro de papel intocado. provar do sabor de linhas a preencher. imaginar o desenhoContinuar lendo “16 | velhos hábitos”