Aconteceu agosto… de novo!

Agosto não passa e invade outros meses…setembro, avançando por outubroe alcançando novembro. Caio Fernando Abreu Antigamente eu arrancava a folha do calendário e a amassava para ouvir o som do papel deformando sob o efeito de um gesto-rude-meu. Mas, faz tempo que não uso calendário, nem folhinhas. Apenas os dias da agenda, seguindo o cursoContinuar lendo “Aconteceu agosto… de novo!”

03 | Aquele ontem amanheceu de novo…

“É porque existe o desejo, o olfacto, es o medo, e os vivos apaixonam-sepor outros vivos, e lembram-se, por vezes, do enorme número de mortos;e dentro destes há alguns que os fazem desligar a luz e o trabalho,e o quotidiano aí já não basta, porque o coração tem em certos diasum orçamento incomportável”. Gonçalo M.Continuar lendo “03 | Aquele ontem amanheceu de novo…”

Os dias de julho…

  “e ao anoitecer adquires nome de ilha ou de vulcãodeixas viver sobre a pele uma criança de lumee na fria lava da noite ensinas ao corpoa paciência o amor o abandono das palavraso silêncio… e a difícil arte da melancolia” al berto . …eu não me lembro de ter escrito — em momento algumContinuar lendo “Os dias de julho…”