Con.Vi.Ver

Vila Itororó Fiz essa foto num tempo anterior a esse… quando o meu passo tinha como destino a Alameda Santos. Lembro-me que a noite me convidou a caminhar e eu dei aos meus pés o sabor das calçadas da Avenida Paulista até a Brigadeiro Luís Antônio… Fui perfazendo os caminhos, sem mapas… sentindo o piso,Continuar lendo “Con.Vi.Ver”

Não perca o seu olhar estrangeiro

                                                   em ruínas Saímos para andar pelo bairro com suas ruas para baixo entrecortadas por inúmeras vielas e acabamos nos perdendo dos passos e dos caminhos… foi quando avistei essa construção. O muro foi o que me chamou a atenção. E como o portão estava entreaberto, espiei o lado de dentro e avistei o queContinuar lendo “Não perca o seu olhar estrangeiro”

6 on 6 | Crepúsculo

Desde a infância que tenho paixão pela hora do crepúsculo… não me lembro o exato instante em que ao olhar pela janela percebi qualquer coisa de pausa na realidade das coisas humanas. Mas a sensação nunca se perdeu-esvaziou — segue em meus poros. Estiquei o olhar lá para fora e percebi que havia um exatoContinuar lendo “6 on 6 | Crepúsculo”

6 on 6  |  Em 2021 eu…

Eu aterrissei em 2022… segundo o calendário. Mas lá fora nada mudou. O mundo continua impregnado pelo caos humano, embora a causa seja um vírus, somos nós o problema… a causa e a consequência. Fui dormir antes da meia-noite e não ouvi fogos, o estouro das rolhas, as comemorações. Não estava em paz comigo eContinuar lendo “6 on 6  |  Em 2021 eu…”

6 on 6 | Em 2020 eu…

Perdi a paciência e poucas vezes em meus quase quarenta (anos de existência) um ano me deixou sem falas. Não é que foi ruim — simplesmente não foi… um ano inteiro. Não sei se fiz pouco-muito-nada. Não sei de que matéria foram feitos os dias e suas vinte e quatro horas, semanas e meses. ÀsContinuar lendo “6 on 6 | Em 2020 eu…”

6 on 6 | meus cantos

Sou uma pessoa feita de cantos… da casa, do corpo, da alma e dos lugares onde chego e permaneço. Gosto de ocupá-los… preenchê-los com qualquer coisa de presença. Uma xícara de chá… um bom livro. Um punhado de folhas em branco, a lapiseira. Um vaso de planta… e o silêncio das ausências. Sempre que chegoContinuar lendo “6 on 6 | meus cantos”

6 on 6 | Meus livros…

É por isso que dou tanto valor à pequena frase ‘não sei’. É pequena, mas voa com asas poderosas. Expande nossa vida para incluir espaços que estão dentro de nós, bem como vastidões exteriores em que a nossa minúscula Terra pende suspensa. — Wislawa Szymborska — Eu cresci em uma casa com livros… enciclopédias, livrosContinuar lendo “6 on 6 | Meus livros…”

6 ON 6 | Retratos

O primeiro retrato de que me lembro… é também uma de minhas primeiras lembranças. Tinha quase cinco anos, a manhã estava ensolarada e os pássaros sobrevoavam telhados. O vento frio derrubava folhas e cumpria seu papel de anunciar a nova estação. Um signore e seu ajudante chegarão na hora marcada… com o equipamento necessário. Posicionaram aContinuar lendo “6 ON 6 | Retratos”

6 on 6 | O que te inspira?

Eu  me lembro que, ainda na infância, entendi — com a ajuda dos meus — que cada momento tem a sua cor-som-textura-formas-inéditas-repetidas… mas tudo depende do nosso grau de atenção. C., sempre me dizia: ‘somos desatentos por natureza. Perdemos milhares de instantes, deixamos de provar centenas de coisas e a mente, de tão arteira que é, inventouContinuar lendo “6 on 6 | O que te inspira?”

6 on 6 | minha cidade

São Paulo não é uma cidade… é um cenário-universo-mundo… com suas contradições de espaço-pessoas-figuras. Tudo aqui se mistura. O diferente se iguala-nivela. O igual se atropela-desespera. As cores se apagam. As luzes se acendem.  Janelas se abrem. Portas se fecham. Estações começam e terminam (no mesmo instante). A lua muda de fase. A rua trocaContinuar lendo “6 on 6 | minha cidade”