O fim só é uma palavra para quem nunca morreu ao menos uma vez em vida!

(…) e deixamos de confiar no poema, no poeta ,na metáforae em todas as mentiras neste equinócio,com pronúncia de outono e voz de setembro esquecido [de repente parece que o mundo murchoupara os que amam por acaso nestes dias lentos]. Um poema, de Jorge Pimentapara a estação de setembro Setembro acabou… esse mês, que traz emContinuar lendo “O fim só é uma palavra para quem nunca morreu ao menos uma vez em vida!”