[ Chá de hortelã ]

Dizem que o tempo ameniza Isto é faltar com a verdade Dor real se fortalece Como os músculos, com a idade Emily Dickinson Fui à prateleira e voltei de lá com um livro de poesias — o outro, o mesmo de Jorge Luis Borges. Coisa bastante comum por aqui porque como eu escrevi num desses ontensContinuar lendo “[ Chá de hortelã ]”

Os livros para o meu Agosto

Eu gosto imenso de arrumar prateleiras! De tempos em tempos, desço todos os livros e organizo a bagunça que faço ao longo dos dias. Sou uma pessoa pautada pela leitura. O outono me remete a certos autores-títulos. O verão a outros. Eu não tenho o menor pudor em ler e re-ler certos títulos, que meContinuar lendo “Os livros para o meu Agosto”

O que ando a ler | Solombra…

Que eu gosto — de ao cair da tarde — colocar a chaleira no fogo para preparar uma xícara de chá… não é novidade. Enquanto espero, caminho pelos cômodos da casa, apreciando os meus passos pelo piso-frio e me deixo conduzir até a prateleira, onde escolho um livro de poesias a partir do tato, semContinuar lendo “O que ando a ler | Solombra…”

A leitora que eu sou

Eu nasci na famigerada década de oitenta — a famosa década perdida, com todos os seus excessos. Por aqui, estranhamente, ficou conhecida como a década de ouro. Mas, ao espiar o que era o Brasil desses dias, fica fácil compreender essa geração de alienados e negacionistas que assolam o país atualmente. Impressionante como ninguém seContinuar lendo “A leitora que eu sou”

24 — Daqui a pouco eu saio da sua vida

Cara A.a …fiz uma pausa no meio da tarde para tomar uma xícara de chá e, como de costume, enquanto aguardava pela fervura da água, fui até a estante e voltei com um livro em mãos. Eu gosto imenso do meditar que o tempo de espera de uma xícara de chá, me permite. É comoContinuar lendo “24 — Daqui a pouco eu saio da sua vida”

02 | os livros a…gosto da leitora que sou!

É comum me perguntarem… como escolho os livros que leio durante o mês. Não sou fã de listas dos mais lidos e tenho pouco apreço por indicações.  Algo que foi bastante comum na minha infância-juventude. Li a relação completa oferecida pela professora-bibliotecária-amigos-artistas. Gostei mais de uns que de outros mas, os li por inteiro… daContinuar lendo “02 | os livros a…gosto da leitora que sou!”

09 | eu abandono livros por aí

às vezes, sinto que perdi os teus melhores anos os melhoressão aqueles em que entendemos as coisas pela metademeia ciência sobre uma planta — metade do Homero lidomeio sonho numa caminhada ao entardecermeio futuro envolvido em mistériopor não se entender metade do passado Mario Osório Eu não coleciono livros… embora tenha algumas prateleiras cheias. SãoContinuar lendo “09 | eu abandono livros por aí”

O que ando a ler | viagens no scriptorium

“Vista dos confins mais distantes do espaço, a Terra não é maior que uma partícula de poeira. Lembre-se disso na próxima vez que escrever a palavra “humanidade”. Paul Auster, em “viagens no scriptorium” . Quando completou cinquenta anos, Paul Auster escreveu — para celebrar o momento — o livro “da mão para a boca”… revelandoContinuar lendo “O que ando a ler | viagens no scriptorium”

silêncio, no tempo do ruído

Ah, o outono… finalmente aconteceu e com ele, todas as coisas que se sentem neste tempo de cores quentes. Eu sou uma eterna apaixonada por esse tempo de interiores…A estações são coisas da alma-pele, não de calendários, tampouco de previsões de tempo que, insistem em anunciar a chegada e a partida… como se fosse umaContinuar lendo “silêncio, no tempo do ruído”

A coisa mais próxima da ficção

Tenho em mãos o livro do signore James Wood — com quem travei contato no verão de um ano qualquer — antes de tudo ser o que se é. Nos encontramos no acaso de nossos passos e dividimos uma mesa num desses cafés urbanos, por alguns minutos.Me lembro de sorrir ao vê-lo tentar descobrir oContinuar lendo “A coisa mais próxima da ficção”