A leitora que eu sou

Eu nasci na famigerada década de oitenta — a famosa década perdida, com todos os seus excessos. Por aqui, estranhamente, ficou conhecida como a década de ouro. Mas, ao espiar o que era o Brasil desses dias, fica fácil compreender essa geração de alienados e negacionistas que assolam o país atualmente. Impressionante como ninguém seContinuar lendo “A leitora que eu sou”

8 curiosidades sobre o meu mundo literário…

Acho que todo leitor tem suas peculiaridades… que viram segredos, partilhados apenas com um ou outro leitor (vez ou outra) durante um passeio numa livraria ou uma sentada num café para discutir — entre goles — aquele livro comprado recentemente… e que todo mundo está a ler. Mas ele ainda não… porque tem leitores (comoContinuar lendo “8 curiosidades sobre o meu mundo literário…”

27 — Pedras no caminho de ninguém

São Paulo, mais um ontem que vai longe… Meu caro, Hoje eu escrevo desse meu novo cenário… Cores e sombras se multiplicam pela paisagem. Estou gostando desse “retângulo” com móveis e tapete marrom na porta. Eu queria um vermelho, mas não consegui encontrar. E você sabe como tenho pouca — ou nenhuma — paciência paraContinuar lendo “27 — Pedras no caminho de ninguém”

06 on 06  | Mas é carnaval… literário!

Eu não sou uma pessoa de Carnaval e acho pouco provável que um dia venha a ser… nunca curti os excessos que seduzem as multidões — aliás, um forte motivo para ficar bem longe das festas carnavalescas. Mas, eu gosto imenso do culto à Dionísio — deus do êxtase e do vinho —, na GréciaContinuar lendo “06 on 06  | Mas é carnaval… literário!”

ao mesmo tempo | susan sontag

Gosto imenso de ter esse livro em mãos e levá-lo comigo por aí. A grafia do título me conduz para além dos passos… da realidade, devolvendo-me ao lugar em que cresci, chamando-o de casa. É como ser convidada a uma visita… sento-me no sofá e espero pelo café. Enquanto isso vou observando o lugar daContinuar lendo “ao mesmo tempo | susan sontag”

…lendo meus desacontecimentos

Escolhi viver sem fronteiras definidas, nações não me interessam, limites só me importam os da ética. Tenho um coração andarilho, um corpo mutante, uma mente trangênera. Sou irmã, mãe, filha, homem, cúmplice, bicho bicho, humano, árvore, erva daninha, pedra, rio, Vírus. Sou todas as cores, todos os sexos, todas as línguas. Sou palavra em palavras.Continuar lendo “…lendo meus desacontecimentos”

[poemas] Wislawa Szymborska

Quando leio poesia, me demoro nas páginas e no livro. Gosto de percorrer caminhos. Levar a poeta comigo para um passeio — coisa rara nesses dias pandêmicos. O máximo que tenho feito é transitar pelos cômodos do lugar… da varanda para a cozinha-banheiro-quarto-sala. Para essa semana… escolhi poemas de Wislawa, que é uma descoberta recente.Continuar lendo “[poemas] Wislawa Szymborska”

02 | os livros a…gosto da leitora que sou!

É comum me perguntarem… como escolho os livros que leio durante o mês. Não sou fã de listas dos mais lidos e tenho pouco apreço por indicações.  Algo que foi bastante comum na minha infância-juventude. Li a relação completa oferecida pela professora-bibliotecária-amigos-artistas. Gostei mais de uns que de outros mas, os li por inteiro… daContinuar lendo “02 | os livros a…gosto da leitora que sou!”

21 | A mesa do canto do café Ino

Sempre passava por Linha M na livraria — em destaque em uma ilha, bem na entrada da Livraria… eu o observava de longe. Não me aproximava para reparar os detalhes da capa e perceber um click de Robert Mapplethorpe ou reconhecer a lenda viva do punk Patti Smith, com seus potentes versos people have theContinuar lendo “21 | A mesa do canto do café Ino”

17 | minhas caixas de livro…

Aproveitei o domingo para limpar as minhas caixas de livro… costumo fazer isso no último dia do mês. Mas, acabei por fugir de algumas das minhas rotinas — nesses dias de confinamento —, o que me gerou algum prejuízo de tempo-espaço-lugar… uma desordem natural de dias-semanas-horas. E não faço idéia de quanto tempo vou levarContinuar lendo “17 | minhas caixas de livro…”