O que ando a ler | (in)versos

Eu não sei se nos conhecemos em junho… não me lembro. Nem tudo a memória guarda. Algumas coisas, mesmo que preciosas, perdem-se no vácuo de nossa existência. São os famosos espaços em branco que os poetas tanto gostam de preencher. E que sorte temos nós de haver poetas no mundo… Quando conheci Suzana Martins, elaContinuar lendo “O que ando a ler | (in)versos”

O que ando a ler | Solombra…

Que eu gosto — de ao cair da tarde — colocar a chaleira no fogo para preparar uma xícara de chá… não é novidade. Enquanto espero, caminho pelos cômodos da casa, apreciando os meus passos pelo piso-frio e me deixo conduzir até a prateleira, onde escolho um livro de poesias a partir do tato, semContinuar lendo “O que ando a ler | Solombra…”

06 on 06  | Mas é carnaval… literário!

Eu não sou uma pessoa de Carnaval e acho pouco provável que um dia venha a ser… nunca curti os excessos que seduzem as multidões — aliás, um forte motivo para ficar bem longe das festas carnavalescas. Mas, eu gosto imenso do culto à Dionísio — deus do êxtase e do vinho —, na GréciaContinuar lendo “06 on 06  | Mas é carnaval… literário!”

…lendo Walt Whitman,

“gingando pela calçada ou trotando por estradas rurais eu vejo rostos, / rostos de amizade, precisão, cautela, suavidade, idealismo, / o rosto espiritual previdente, o sempre bem-vindo rosto comum benevolente, / o rosto de quem canta, os rostos ilustres dos advogados naturais e juízes de costas largas, / rostos de caçadores e pescadores, sobrancelhas salientes…Continuar lendo “…lendo Walt Whitman,”