durante aquele estranho chá

Num tempo anterior a esse em que eu saia para as ruas sem preocupação e costumava me refugiar na Livraria Cultura… do Conjunto Nacional para fugir do caos promovido pelo famoso horário de pico, da cidade. Lembro-me que fazia calor em Sampa — não como agora — e havia previsão de chuva. Corri para lá…Continuar lendo “durante aquele estranho chá”

…lendo meus desacontecimentos

Escolhi viver sem fronteiras definidas, nações não me interessam, limites só me importam os da ética. Tenho um coração andarilho, um corpo mutante, uma mente trangênera. Sou irmã, mãe, filha, homem, cúmplice, bicho bicho, humano, árvore, erva daninha, pedra, rio, Vírus. Sou todas as cores, todos os sexos, todas as línguas. Sou palavra em palavras.Continuar lendo “…lendo meus desacontecimentos”

21 | A mesa do canto do café Ino

Sempre passava por Linha M na livraria — em destaque em uma ilha, bem na entrada da Livraria… eu o observava de longe. Não me aproximava para reparar os detalhes da capa e perceber um click de Robert Mapplethorpe ou reconhecer a lenda viva do punk Patti Smith, com seus potentes versos people have theContinuar lendo “21 | A mesa do canto do café Ino”