23 | os meus melhores ingredientes

Percebi ao me sentar para escrever esse texto que a pessoa que cozinha e a leitora que eu sou… tem as mesmas manias. Gosto imenso de abrir o armário e espiar a ordem das coisas para só então, selecionar os ingredientes de acordo com o cardápio do dia. Uso o mesmo trigo, a mesma marcaContinuar lendo “23 | os meus melhores ingredientes”

22 | os meus livros não-lidos (ainda)

Passei um par de horas a espiar minhas caixas de livros… suas sequências ainda organizadas de poesias, romances, novelas, crônicas, contos e ensaios. Gosto dos livros que ali permanecem, em estado de espera. Um livro sempre me leva a outro e a outro e a outro e mais outro — aos poucos vão abandonando aContinuar lendo “22 | os meus livros não-lidos (ainda)”

19 | uma página é sempre uma janela aberta

Fiquei a observar as janelas dos prédios ao longo da Avenida… nesse fim de tarde sem sol. As luzes começaram a se acender… uma a uma, como de costume. E eu fui contando-as, como se fossem livros na prateleira — observando os títulos-autores-orelhas. E comecei a pensar nelas como habitat natural de tantos personagens não-escritos.RepareiContinuar lendo “19 | uma página é sempre uma janela aberta”

O que ando a ler | Paul Auster

Março começou… mas eu ainda não comecei nada. Nem o projeto do ano em que irá abrigar-agasalhar a minha escrita, nem os projetos que invento e reinvento dentro dos dias. Estou pelo caminho… a flutuar no espaço, like always.Eu li muito — de tudo um pouco nos últimos dias. De poesias outras-alheias. Algumas linhas… euContinuar lendo “O que ando a ler | Paul Auster”

09 | eu abandono livros por aí

às vezes, sinto que perdi os teus melhores anos os melhoressão aqueles em que entendemos as coisas pela metademeia ciência sobre uma planta — metade do Homero lidomeio sonho numa caminhada ao entardecermeio futuro envolvido em mistériopor não se entender metade do passado Mario Osório Eu não coleciono livros… embora tenha algumas prateleiras cheias. SãoContinuar lendo “09 | eu abandono livros por aí”

O que ando a ler | viagens no scriptorium

“Vista dos confins mais distantes do espaço, a Terra não é maior que uma partícula de poeira. Lembre-se disso na próxima vez que escrever a palavra “humanidade”. Paul Auster, em “viagens no scriptorium” . Quando completou cinquenta anos, Paul Auster escreveu — para celebrar o momento — o livro “da mão para a boca”… revelandoContinuar lendo “O que ando a ler | viagens no scriptorium”

18 | dos livros que eu coleciono…

Minha paixão por livros começou na infância! — mas nunca fui uma colecionadora de livros. Embora tivesse a casa duas bibliotecas distintas que pertenciam as adultos e não a mim. Eu tinha uma dúzia de livros — favoritos — lidos e re-lidos um sem-fim de vezes. Estavam sempre ao alcance de minhas mãos. As poesias deContinuar lendo “18 | dos livros que eu coleciono…”

Os livros

Os livros me deram a oportunidade de habitar outras paisagens, viver em outros corpos, provar de outras vidas. Ser outra e ninguém. Tudo e nada. Eu sempre fui uma pessoa encolhida, para dentro. Nunca fui tímida… apenas não apreciava presenças, não gostava de se fazer presente. Fui forjada em ausências e nostalgias. Uma criança queContinuar lendo “Os livros”

O que ando a ler | Contra a interpretação

. Um dos primeiros espaços urbanos que visitei ao chegar a São Paulo, em meados de dois mil e dois foi um Sebo… gosto de navegar entre prateleiras cheias, pilhas e mais pilhas de livros. Esses espaços possuem estruturas curiosas que desafiam a gravidade. E foi em um Sebo que garimpei o livro que estouContinuar lendo “O que ando a ler | Contra a interpretação”

O que é um clássico?

Confesso que nunca me ocupei com rótulos — ainda mais na esfera literária -—, então não é surpresa dizer que não tenho uma lista de livros que posso colocar na categoria de: clássicos da literatura. Obviamente eu tenho os meus favoritos lidos e re-lidos um sem-fim de vezes e aqueles que sempre indico por considerar queContinuar lendo “O que é um clássico?”