Artista de Rua

Ao ler-te nessa manhã… lembrei-me de um signore que vende peças esculpidas em madeira, na esquina, do outro lado da rua, aos domingos. Soube que ele tinha uma loja de artigos artesanais, em algum lugar. Uma moradora que passeia com a Maya — pontualmente — mencionou o nome do lugar-cidade, mas eu não tenho memóriaContinuar lendo “Artista de Rua”