08 | Nem sempre tenho respostas…

…e veio a pergunta fatal: e então, o que vai escrever, agora? Respirei fundo. Observei o cenário ao meu redor. As portas do teatro estavam sendo fechadas por uma figura cabeluda, que juntava as duas folhas de madeira, presas por um ferrolho. Um punhado de pessoas esperavam pelo artista da noite e eu me sentiContinuar lendo “08 | Nem sempre tenho respostas…”