Catarina versão fanzine…

O meu primeiro contanto com um fanzine aconteceu na década de noventa — na porta da escola. Era uma folha de papel dobrada, com desenhos feitos à mão e meia dúzia de palavras. Parecia uma Hq improvisada. O grupo de garotos era fã de um seriado popular na época:  Buffy — the vampire slave… eContinuar lendo “Catarina versão fanzine…”

28 | quase sete anos depois

Houve um momento em que eu decidi que não queria os modelos prontos, por saber que não seria o bastante para mim. Era pouco ou nada. Deitar minha escrita em velhos moldes conhecidos e ocupar os mesmos espaços não seria o suficiente. E foi a minha insatisfação que me fez ir atrás de um verboContinuar lendo “28 | quase sete anos depois”